Para onde viajar em janeiro: 10 melhores destinos

para onde viajar em janeiro

Já está na hora de planejar as férias de janeiro e sempre fica a dúvida, para onde ir? Alguns preferem curtir o mês para aproveitar o verão e outros querem fugir do calor e pegar frio. Para não deixar nenhum estilo de fora, escolhermos 5 lugares de praia e 5 de frio para montar a lista para onde viajar em janeiro. Fica de olha em todas as dicas e escolha já a sua próxima viagem.

Lugares para ir em janeiro: Destinos de calor

Quem não dispensa um destino tropical  nas férias de janeiro, escolhemos para esse post 5 lugares, no Brasil e também no exterior, que tem a temperatura perfeita para curtir sol e mar sem moderação.

Onde ir em janeiro no Brasil: Jericoacoara (CE)

Jericocoara (leia nosso post com todas as dicas de Jericoacoara) é um dos destinos para onde viajar em janeiro no Brasil. É uma vila pacata e intocada que fica a 300 km de Fortaleza, e um dos lugares baratos para viajar pelo Nordeste. Apesar da fama e da alta procura, o local mantém o clima interiorano, charmoso para relaxar nas férias. Em janeiro, espere calor, dias ensolarados com algumas pancadas de chuvas e muitos cenários deslumbrantes.

  • Como chegar em Jericoacoara: Ir de avião é a melhor opção para chegar em Jericoacoara. Desde 2017 o aeroporto funciona recebendo voos diários de algumas companhias aéreas e os melhores preços você encontra no buscador de passagens do site do Skyscanner.
  • Onde se hospedar em Jericoacoara: Jericoacoara tem hotéis e pousadas super charmosas e lindas. Das melhores, adoramos a Vila Kalango, a dois minutos da praia. Os quartos são em formato de cabana, todos em madeira, com camas grandes, vista do jardim arborizado e redes de balanço. Outra opção é o The Chili Beach Private Resort, na Praia da Malhada. Cada acomodação tem um jardim ou varanda privativa, decoração clara e praiana, e algumas unidade tem também banheira ao ar livre.
  • Quanto tempo ficar em Jericoacoara:Nem pense em conhecer esse paraíso em menos de 4-5 dias, o tempo ideal para conhecer tudo e realmente aproveitar todas as atrações da cidade e arredores.
  • Clima em janeiro: Muito sol. É mês de alto verão, então aproveite o clima quente para mergulhar muitas vezes. Chove com frequência, mas são chuvas rápidas e que não estragam o passeio.
  • Onde comer: À noite, reserve um tempo para passear a pé pela vila e explorar os restaurantes locais regados à frutos do mar. A rua Principal, onde fica a agitação, tem também lojinhas de artesanato e opções para quem quer comprar lembrancinhas. Para comer, nossa dica são os restaurantes Rústico e Acústico e o Bistrô Caiçara.

O que fazer em Jericoacoara:

Anote como prioridade para conhecer em Jericoacoara as Lagoas azul e do Paraíso. Isso mesmo, em vez de curtir só o mar, você vai se deslumbrar com as águas claras e calmas dessas duas atrações. Alguns quiosques nelas oferecem as famosas redes dentro d´água, que deixam a experiência ainda melhor.

Para quem procura aventura, a dica é ir nas escolas de esportes aquáticos que ficam nas praias de Jericoacoara e Preá. São consideradas as melhores do litoral norte para a pratica de wind e kitesurf. Há profissionais que ensinam todos os níveis, e crianças a partir de 13 anos também podem se aventurar.

Outra atividade divertida é andar de bugre e quadriciclo pelas praias do litoral. Partindo da praia de Jericoacoara, dá para conhecer a praia Tatajuba, a Lagoa da Torta, a duna pra sandboard. Antes do pôr-do-sol, siga para a Duna

Para onde viajar em janeiro jericoacoara

Para onde viajar em janeiro: as lagoas de Jeri

Para onde viajar em janeiro

Para onde viajar em janeiro: SUP em jericoacoara

Para onde viajar em janeiro

Centro de Jericoacoara

Destinos no Brasil: Morro de São Paulo (BA)

Localizado na ilha de Tinharé, ao sul de Salvador, Morro de São Paulo é uma cidade badalada, que oferece diferentes estilos de viagem. E é mais um dos destinos para onde viajar em janeiro barato. Para aqueles que gostam de praia e ecoturismo, há longas extensões de mar azul, piscinas naturais e trilhas para explorar. Aos adeptos há agitada vida noturna, há o movimento do centrinho a noite, com bailas de forró e infinitos restaurantes descoladas. Independente do seu gosto, é um excelente destino para aproveitar e conhecer em janeiro.

  • Como chegar em Morro de São Paulo: Há duas maneiras de se chegar em Morro de São Paulo, de táxi aéreo ou de barco. Ambas as opções tem saída de Salvador,  e de Valença há somente a segunda opção.  Saindo de Salvador, a reserva do táxi aéreo e do barco podem ser feitas diretamente pelo site da cidade de Morro de São Paulo. De Valença, basta ir até o cais.
  • Onde se hospedar em Morro de São Paulo: O número de pousadas em Morro não é muito grande, então escolher as melhores fica fácil. Se quiser ficar mais isolado, pode se hospedar no Resort Patachocas, na Quarta Praia. Os bangalôs são espaçosos, climatizados, com vista para o jardim e algumas unidades para praia. Se for em família, aproveite a recreação e espaço infantil que o hotel oferece. Se quiser estar perto de tudo, tem a Pousada Dona Moça, na Primeira Praia . Quartos com vista para o mar, alguns com varanda privativa, restaurante, piscina de borda infinita e acesso à praia são algumas das comodidades da pousada.
  • Quanto tempo ficar em Morro de São Paulo: Pelo menos 4 dias. A cidade não tem muitas praias, mas as que tem são o suficiente para querer passar o maior tempo possível nelas, então não fique menos que isso.
  • Clima em janeiro: Verão, com muito sol e ventos constantes. Fica fora dos meses de chuvas, então dá para aproveitar sem se preocupar com a mudança de tempo.
  • Onde comer em Morro de São Paulo: O centrinho da cidade fica um agito a noite, e alguns dos melhores restaurantes por lá servem jantares espetaculares aos visitantes. Experimente O Casarão, especialista em frutos do mar e comida japonesa, e o Andina, com temperos de toda América Latina.

O que fazer em Morro de São Paulo:

O mar é a grande estrela por aqui. Nas quatro praias nomeadas da cidade, Primeira, Segunda, Terceira e Quarta, as águas são cristalinas e calmas e cheias de corais, e conforme vai se afastando do centro, vai ficando mais tranquilo. A primeiras é mais próxima da vila e mais procurada.

Na orla há restaurantes, bares e muita agitação, principalmente a noite. Se preferir algo mais calmo, faça passeios para a Quarta praia, onde há menos movimento.

Os passeios de barco também são muito populares e vale a pena fazer pelo menos um deles. Você pode optar por dar a volta na ilha, que leva o dia inteiro e para em diferentes praias, ou ir somente para a Ilha de Boipeba, ao sul de Morro de São Paulo. Ambas as opções tem partida no cais da cidade, e o valor varia de acordo com o tipo de embarcação, sendo a partir de R$80,00 por pessoa.

Outras atividades naturais e recompensadoras são as trilhas. As mais bonitas dão a do Farol e do Forte, os dois principais monumentos de Morro de São Paulo. A maior delas é a do Farol, mas mesmo assim é de nível moderado e tranquilo de se fazer. A dica é ver o pôr-do-sol do topo, um dos mais bonitos. Já do Forte leva a mureta de frente para a praia, e um nível mais baixo e de fácil acesso.

Para onde viajar em janeiro

Primeira praia em Morro de São paulo

férias de verão

Centrinho de Morro de São Paulo 

para onde ir em janeiro

Segunda praia em Morro de São Paulo

Férias de janeiro: Praia do Forte (BA)

Praia do Forte é uma vila pacata que fica ao norte de Salvador. Seu charme vem encantando cada vez mais os visitantes, que além de descobrirem as lojas e restaurantes coloridos do centro ainda se apaixonam pelo mar azul e pelas belezas naturais que acompanham o litoral.

  • Como chegar em Praia do Forte: A melhor maneira é ir de avião, pelo aeroporto de Salvador, e então pegar um transfer para a Praia do Forte, que fica a 80 km de distância da capital. A estrada de acesso é a BA-099, conhecida como Estrada do Coco. Não precisa de carro no Forte.
  • Onde se hospedar em Praia do Forte: No vilarejo, gosto muito do Ogum Marinho, que apesar de estar no meio do burburinho, é um recanto de tranqüilidade, tem café da manhã farto e chá da tarde de cortesia todos os dias. Também adoramos o Recanto da Vila. Se quiser um resort mais afastado, indicamos  o Tivoli Ecoresort, que fica em uma reserva natural, ao lado de um lago lindo. O destaque fica por conta das atividades disponíveis para os hóspedes e da piscina natural bem em frente ao hotel .
  • Quanto tempo ficar na Praia do Forte: Três a quatro dia é um período bom, mas se puder, fique mais pra relaxer e conhecer as praias vizinhas.
  • Clima em janeiro: É a época mais quente do ano, mas também a que menos chove, ou seja, dá para aproveitar todas as atividades sem correr de pancadas chuvas.
  • Onde comer na Praia do Forte: A Vila, como é conhecido o centro da Praia do Forte, também deve entrar no roteiro, principalmente se você quiser experimentar algumas delícias baianas. Não deixe provar a moqueca de camarão do Restaurante Donana, dita a melhor do lugar. Se preferir um tempero mais leve, vá à Risoteria Terra Brasil.

O que fazer na Praia do Forte:

Vamos começar falando da praia e das inúmeras atividades que podem ser feitas nela. São 14 km de extensão de águas claras, acompanhadas de areia fofa e muitos coqueiros. Em algumas partes dela há piscinas naturais com águas mais calmas, para curtir em família, e em outras há mais vento e ondas, ideal para praticar esportes aquáticos.

Um diferencial é a instalação do Projeto Tamar, que proteges tartarugas e fauna local disponibilizando informações e exposições para os visitantes. Em janeiro pode-se acompanhar de perto a liberação das tartarugas recém-nascidas no mar.

Quem procura uma atividade diferente não pode deixar de fazer o passeio de canoa na lagoa Timeantube, principalmente no comecinho do dia, com o sol nascendo, ou no final, no pôr-do-sol. Além de ser um experiência diferente, há também a chance de observar as diferentes espécies de aves da região.

Também vale fazer passeios para as praias vizinhas, como Imbassaí

onde ir nas férias de janeiro

Onde ir nas férias de janeiro: Praia do Forte, na Bahia

para onde ir em janeiro

Vila na Praia do Forte

férias de janeiro

Praia do Forte, na Bahia

Para onde viajar em janeiro: Maragogi (AL)

Não é a toa que Maragogi (leia aqui nosso roteiro completo sobre maragogi) é conhecida como o Caribe brasileiro. A cor intensa e cristalina do mar faz qualquer um pensar que está em algumas das ilhas do Caribe. O melhor de tudo é que, como a popularização do destino, a qualidade da infraestrutura para os visitantes melhorou muito nos últimos anos, com diversas opções de hotéis e passeio. Pode colocar na lista de para onde viajar em janeiro.

  • Como chegar em Maragogi: Dois aeroportos dão acesso a Maragogi, o de Maceió, a 140 km, e o de Recife, a 130 km de distância. A distância de carro é basicamente a mesma, duas horas, e você pode optar pelo destino com as passagens mais baratas para as datas da viagem.
  • Onde se hospedar em Maragogi: É na parte sul de Maragogi que ficam as melhores pousadas e hotéis da cidade. Nós recomendamos três, o Salinas Maragogi Resort, com sistema All Inclusive, o Camurim Grande, de frente para o mar, e o Praiagogi Boutique Pousada, também com pé na areia e serviço exclusivo.
  • Quanto tempo ficar em Maragogi: Fique pelo menos 3 dias para conhecer tudo e ainda relaxar de frente para o mar azul.
  • Clima em janeiro: As temperaturas são altas, período ideal para curtir o maior tempo possível dentro do mar, que nesse mês está mais claro por conta da baixa probabilidade de chuva. Mas fique atento à tábua de marés de Alagoas. O ideal é ir com com a maré baixa durante o dia, para ver as piscinas
  • Onde comer em Maragogi: Já que o mar é a estrela da cidade, os frutos do mar e peixes não poderiam ficar fora do cardápio dos principais restaurantes. O Tuyn é daquelas que misturam ingredientes locais com técnicas diferentes, criado verdadeiras experiências culinárias. Se preferir algo informal e com uma boa carta de drinks, conheça o Russo Gastrobar. Se quiser refeições rápidas e baratas a indicação é o Tapioca da Martha

O que fazer em Maragogi:

As grandes estrelas de Maragogi são as Galés, piscinas naturais que ficam a 6 km de distancia da costa. Há inúmeros passeios que levam até esses paraísos, indo de barcos coletivos até opções privadas. O cenário é de tirar o fôlego, que mistura o mar claro com corais e muitos peixes. Mas essa não é a única da cidade. Essa formação de piscinas também é vista em Taocas, Barra Grande e Barreira de Peroba, todas igualmente lindas e um pouco menos movimentadas que as Galés.

Você deve também curtir as praias da cidades, que não deixam a desejar em beleza. Se o hotel for com o pé na areia, aproveite o visual e relaxe, se não, opte ao norte pelas praias de Burgalhau e Ponta do Mangue, e ao sul pelas falésias de Japaratinga e Barreiras do Boqueirão..

onde ir em janeiro

Galés em Maragogi

Para onde viajar em janeiro

Praia Ponta do Mangue em Maragogi

férias de janeiro

Praia da Barra Grande em Maragogi

Onde viajar em janeiro internacional : San Andres e Providencia (Colômbia)

Colômbia um dos países baratos pra viajar em janeiro. E essas duas ilhas colombianas no mar caribenho são o destino de praia perfeito para quem quer ver belezas naturais, águas cristalinas, pagar bons preços e ter muita diversão.

  • Como chegar em San Andres e Providencia: A ilha de chegada é San Andres, mas não há voos diretos do Brasil, então o ideal é fazer conexão em Bogotá, com a Avianca e Latam, ou no Panamá, com a Copa Airlines. Para providência, as opções dão de catamarã, com as empresas Conocemos Navegando e Catamarán El Sensation, e de avião, com a Satena.
  • Onde se hospedar em San Andres e Providencia: Há dois hotéis que recomendamos em San Andres, o Decameron Isleño e o Casablanca, ambos na região de Noth End e com pé na areia. Já em Providencia, nosso favorito é o Sol Caribe Providencia, em estilo rústico e super charmoso.
  • Quanto tempo ficar na San Andres e Providencia: O ideal é 6 dias de viagem, 4 em San Andres e 2 em Providencia.
  • Clima em janeiro: Quente, perfeito para curtir todas as praias em todos os dias. Chove pouco e para a nossa alegria, o mar costuma ser mais calmo, possibilitando diversos passeios no mar.
  • Onde comer em San Andres e Providencia: A comida local das ilhas é regada de frutos do mar e frutas como coco e abacaxi. Os restaurantes nesse estilo que indicamos é o The Grog, em Rocky Cay, que serve um arroz de camarão e coco espetacular, o Capitan Mandy, também de frutos do mar e com preço ótimo, e o La Costilla de Juan, estilo americano com toque latino. Em providencia as opções são poucas, mas vale apostar no Deep Blue, que fica de frente para o mar e que serve uma ótima limonada com coco no estilo colombiano.

O que fazer em San Andrés e Providencia:

A melhor maneira de visitar as duas em uma unica viagem é começar por San Andrés (leia aqui nosso post completo sobre San Andres e aqui dicas de melhores hoteis em San Andres), que tem o que conhecer de norte a sul. São apenas 30 km de extensão entre o extremo norte e sul, o que facilita a viagem.

A dica é alugar uma moto ou um carrinho de golfe para ir conhecendo tudo com calma (cerca de US$10), e deixar o passeios de barco para dias reservados. Na ilha, não deixe de visitar as praias de Spratt Bright e Peatonal, que ficam no centro, a La Piscinita, na parte oeste, a Rocky Cay ao norte, e o Hoyo Soplador ao sul. Já de passeio de barco, Johnny Cay e a El Acuario são imperdíveis.

Em Providência o agito é pouco, e o ideal é aproveitar ido passear de barco ou alugando um carro de golfe da mesma maneira que tem em San Andres.

A ida até Cayo Caranguejo é a melhor opção (mas a ilha estava fechada para visitação na data d publicação desse post), uma ilha mínima com mar azul intenso e águas calmas. Já em Providência, curta o clima rústico da South West Bay e das praias próximas. Ou seja, explore sem moderação.

países baratos pra viajar em janeiro: Colômbia

países baratos pra viajar em janeiro: Colômbia, e Ilhota de Johnny Cay em San Andres

destinos nas férias de janeiro

O Hoyo Soplador em San Andres

para onde viajar nas férias de janeiro

Ponte que liga Providencia a à ilhota de Santa Catalina

Para onde viajar em janeiro: Destinos de frio

Se prefere fugir do verão, o hemisfério norte é a melhor opção para onde viajar em janeiro, seja para cidades europeias ou americanas. Selecionamos as 5 com o melhor clima e atrações para curtir o frio e curtir, quem sabe, um pouco de neve.

Destinos na Europa janeiro: Londres

  • Como chegar em Londres: O aeroporto internacional de Heathrow recebe voos direto do Brasil e também conexões de companhia aéreas de outros países da Europa. As principais companhia aéreas que voam direto são British Airlines e LATAM.
  • Onde se hospedar em Londres: A região escolhida em Londres faz toda a diferença no roteiro. Lugares como Chelsea e Knightsbridge ficam mais próximo aos pontos turísticos, facilitando a locomoção na viagem. Nosso hotéis favoritos neles são o Mandarin Oriental e o Chelsea Heart. Já nos bairros de Soho e Covent Garden são mais afastados, porém mais descolados, cheio de restaurantes diferentes, lojas modernas e muitos jovens. Por lá indicamos o Radisson Blu, o Arcore Premium Apartment e o The Nadler.
  • Quanto tempo ficar em Londres: O tempo ideal é entre 6 e 7 dias. Menos que isso deixa a viagem muito limitada e você não conhecerá todas os lugares legais e charmosos de Londres.
  • Clima em janeiro: É um dos meses mais frios do ano, mas mesmo assim ainda perde para as baixas temperaturas de outras capitais Europeias. Apesar de ventar bastante, as chuvas são esporádicas, passando rápido e garantindo dias mais bonitos.
  • Onde comer em Londres: Para experimentar o clássico fish and chips, vá no Nicholson’s em Covent Garden. O pub tem decoração clássica britânica e você pode escolher entre o agitado bar e o tranquilo restaurante. Outro clássico britânico é o chá da tarde, e nada melhor que o Afternoon Tea que fica no Hotel The Savoy.

O que fazer em Londres:

(Leia aqui nosso dossiê completo sobre Londres!)Londres é daquelas cidades que você pode visitar mais de uma vez e sempre terá algo novo para se conhecer. Além dos pontos turísticos clássico, como o Big Ben, London Eye, Piccadilly Square e Palácio de Buckingham, aproveitar explorar os bairros a pé.

Nós adoramos caminhar ir de Covent Garden até Carnaby Street, explorando os arredores. Bairros como Soho, Leicester, Regent também são perfeitos para se perder e achar diferentes restaurantes, cafés e lojas.

Se quiser ir ainda mas longe e se deslumbrar com uma Londres descolada e artística, reserve um dia por East London, Shoreditch, Brick Lane e Columbia Road. Nossa experiência por lá foi incrível, cheio de galpões com grafitismo e exposições de peças modernas. São também ótimos lugares para comer e fazer compras de lembranças diferenciadas.

Caso esteja em Londres no inicio de janeiro, pode se divertir numa pista de patinação no gelo. A que fica mais tempo aberta é a de Somerset House, até mais ou menos a segunda semana.

Dos passeios mais distantes, indicamos de olhos fechados os Estúdios da Warner onde foi filmado a Saga Harry Potter. Mesmo para quem não é fã aficionado como nós vai curtir o passeio, que tem as rupas usadas pelos personagens, cenário clássicos, como o Salão Principal, o Beco Diagonal, o Banco de Gringotts e a casa da família Durley. O ingresso é vendido diretamente pelo site da Warner.

Outras esticadas legais incluem ir até Greenwich e visitar o meridiano, e, para quem gosta de esportes, conhecer o Stamford Bridge Stadium, casa do famoso Chealsea. O acesso para ambos é feito por metrô, de forma fácil e rápida.

Big Ben e Congresso Britânico

Destinos para ir em janeiro internacional Londres

Destinos para ir em janeiro internacional: A movimentada Piccadilly Square

Para onde viajar em janeiro fora do Brasil

Palácio de Buckingham

Onde ir em janeiro: Amsterdam

Nessa lista de para onde viajar em janeiro fora do Brasil não poderia faltar uma das cidades que nós mais gostamos na Europa, Amsterdam (leia o post com roteiro 5 dias em Amsterdam e Bruges). Tudo nela é encantador, das ruas estreitas e prédios com arquitetura própria até os parque públicos, frequentados em todas as épocas do ano. Sem dúvida você vai querer voltar.

  • Como chegar em Amsterdam: Do Brasil há voos diretos que saem das principais capitais do país para o Aeroporto Internacional de Schiphol, principal de Amsterdam, mas ele também recebe voos menores e de conexões de outros países da Europa. As companhia aéreas que voam direto são a KLM e a LATAM.
  • Onde se hospedar em Amsterdam: Nós recomendamos ficar na Zona Central da cidade, já que facilita a visitação dos variados passeios e também traz a experiência de ficar nas proximidades dos canais. Dois dos nossos favoritos são o luxuoso Pulitzer Amsterdam e o o clássico NH Collection Doelen.
  • Quanto tempo ficar em Amsterdam: Cinco-Seis dias são suficientes para conhecer tudo e ainda se perder pelos canais da cidade.
  • Clima de Amsterdam em janeiro: É bem no meio do período de inverno, então as chances de ver neve são grandes. Leve muitas roupas de frio e aproveite.
  • Onde comer em Amsterdam: Antes de falar dos restaurantes imperdíveis em Amsterdam, não podemos deixar de mencionar o Winkel 43, que faz a melhor torta de maçã da cidade. Vá e experimente, você vai amar. Outras indicações incluem o Vegabond, um cafeteria linda que serve salgados e doces deliciosos, e o Breda, com cardápio que mistura culinária holandesa e francesa.

O que fazer em Amsterdam:

Já que em janeiro é frio em Amsterdam, vamos começar falando da patinação, uma paixão nacional que contagia também os visitantes. A pista mais famosa e também muito bonita é a ICE*Amsterdam, que fica na frente no lago em frente ao Rijksmuseum e o letreiro do I Amsterdam (normalmente funciona até primeiros dias de fevereiro. Valores em  2018: € 6, sem o equipamento).

Outra opção menor, mas igualmente divertida fica na Leidseplein. É possível também patinar nos canais quando o frio é tanto e a água congela. Se for o caso quando você viajar, aproveite, pois não acontece sempre.

Os parque públicos também são ótimas pedidas para aproveitar o inverno ao ar livre. Mesmo com frio, os locais se reúne para curtir em família e também para se divertir na neve, o que aconselhamos que você também faça. O Vondelpark é o maior e mais famoso deles, e há muito espaço para caminhadas, descanso e brincadeiras em família.

Para não ficar sempre no frio, aproveite os museus e galerias de arte que tem em Amsterdam. Alguns que mais gostamos são Museus Van Gogh, com obras do artista, a Casa Anne Frank, que conta a história de vida no período do nazismo, o Nemo, de ciência e tecnologia que as crianças adoram, e o Rijksmuseum, dedicado à história do país.

Intercale as visitas com caminhadas, ou até mesmo pedaladas, pelos canais da cidade. Há muitas ruelas charmosas que esconde lojas descoladas e restaurantes incríveis.

E não deixe de bater perna pelas 9 Streets, pelo Joordan e pelo Red Light District.

Pista de patinação na frente do Museu Rijksmuseum

Para onde viajar em janeiro

Canal congelado em Amsterdam

Museu Van Gogh em Amsterdam

Viagem em janeiro: Paris

Se você não sabe para onde viajar em janeiro, anote ai, Paris é um dos destinos perfeitos. E não é só para os casais, toda a família se diverte por lá também no inverno. O frio não é tao rigoroso e há atividades de todos os tipos para se fazer.

  • Como chegar em Paris: Há voos diários saindo das principais capitais brasileiras para o Aeroporto Charles de Gaulle ou conexões de outros países da Europa.As companhia aéreas que voam direto são a Air France e a LATAM.
  • Onde se hospedar em Paris: As opções de hotéis são muitas, mas há dois bairros que mais gostamos de ficar, que é no descolado Le Marais, no Hotel Dupond-Smith ou no Georgette, e no clássico Quartier Latin, nos Hotel Select. Ambos ficam em ótima localizações, próximos de estações de metrô e pontos turísticos interessantes.
  • Quanto tempo ficar em Paris: Uma semana é o tempo necessário para conhecer tudo, mas tenha certeza, você vai querer voltar.
  • Clima de Paris em janeiro: É frio, mas as temperaturas não são as mais baixas da Europa. Chove pouco, mas venta bastante, então a sensação térmica pode ser um pouco menor.
  • Onde comer em Paris: A culinária francesa é uma das mais famosas do mundo e de fato há restaurantes incríveis para conhecer na cidade. Começando pelo L’Oiseau Blanc, que fica no terraço do hotel The Peninsula, com vista para a Torre Eiffel. A culinária é clássica e os pratos com queijos locais são os melhores. Uma opção mais barata e deliciosa é o L’As du Fallafel, em Marais. A porta pequena faz os melhores falafeis da cidade, com ingredientes fresco e sempre bem temperados.

O que fazer em Paris:

Os pontos turísticos de Paris, apesar de serem batidos, não podem ficar de fora do roteiro. Em um dia de caminhada é possível ir da Torre Eiffel até o Arco de Triunfo, ao museu do Louvre e também a Catedral de Notre Dame. Se for visitar algum deles, uma dica é comprar os ingressos antecipadamente no site do Musée du Louvre e da Tour Eiffel e evitar filas maiores.

Outra maneira de conhecer a cidade é de bicicleta. As magrela são chamadas em francês de vélo e há uam empresa especializada no aluguel delas na cidade, a Vélib. Há pontos de aluguel em toda a cidade e máquinas eletrônicas para fazer o pagamento e retirada na hora. Dá para comprar o passe para um ou até 7 dias e você terá liberado o acesso sempre que deixar e pegar uma nova bicicleta.

Daí, explore os bairros. Gostamos muito de andar pelas ruelas do Le Marais, que fica próximo da Catedral de Notre Dame, e do Pompidou, logo ao lado. O ideal é andar sem rumo e se encantar com a arquitetura local, sempre notando diferentes lojas, galerias de artes e cafeterias com mesas na rua.

Faça isso também em Saint Germain des Prés, que tem a igreja de mesmo nome como ponto principal, e no Quartier Latin, região onde fica a Universidade de Paris e é frequentada por estudantes e intelectuais.

Para onde viajar em janeiro

Torre Eiffel em Paris

férias de janeiro

Catedral de Notre Dame em Paris

viajar em janeiro

Ruas em Le Marais

Destinos de Frio: Barcelona

A capital da Cataluna é uma das cidades mais lindas da Espanha e não é por menos. A arquitetura única de Gaudí e de outros artistas espanhóis colorem as ruas mesmo durante o inverno. Há também muita diversão, bons restaurantes e muitos pontos turísticos imperdíveis.

  • Como chegar em Barcelona: Partindo do Brasil, há voos diretos de São Paulo para Barcelona, pelas companhias Iberia e LATAM. As demais capitais brasileiras fazem escala em Madri ou até mesmo em São Paulo.
  • Onde se hospedar em Barcelona: Você pode optar pelo moderno Ohla Barcelona, que fica a poucos minutos da Praça da Cataluna e oferece piscina na cobertura, terraço e centro de bem-estar com sauna, ou o clássico Hotel Casa Fuster G.L Monumento, construído pelo artista Lluís Domènech e tombado pela UNESCO, e fica na avenida Passeig de Gracia, Oferece restaurante refinado, serviços de SPA e quartos amplos.
  • Quanto tempo ficar em Barcelona: Quatro dias são o suficiente para conhecer os principais pontos da cidades, mas se você tiver mais tempo que isso, melhor.
  • Clima em janeiro: É frio, com temperaturas entre 13º e 7º C. Chove pouco e os dias costumam ser abertos e bonitos.
  • Onde comer em Barcelona: As ruas próximas da La Rambla são as melhore para encontrar restaurantes imperdíveis em Barcelona. Dois que adoramos são o Louro, de frutos do mar, e o Viana, com receitas clássicas espanholas. Se a ideia for curtir o burburinho do Mercado la Boqueria, aposto no Clemen’ s com opções vegetarianas.

O que fazer em Barcelona:

As criações arquitetônicas de Gaudí dominam o cenário de Barcelona, então não deixe de visitar cada uma dessas belezas de perto. A principal delas é a Igreja da Sagrada Família, uma construção imensa com um estilo único e deslumbrante. Não deixe de entrar nela e subir as torres, porque por dentro a catedral é ainda mais impressionate. Outras obras do artista incluem a Casa Milá e a Casa Batllò, que ficam em Passeig de Gràcia, e o Parque Güell.

Não deixe fora do roteiro os museus da cidade. Alguns dos mais bacanas para se visitar são o Museu Picasso, com exposição de algumas obras do artista em ordem cronológica, o Museu Miró, que reúne criações do artista plástico Joan Miró, o Museu Nacional de Arte de Cataluña, com coleção de arte do período romântico, e o Museu do FC Barcelona, para os amantes do futebol.

Dos bairros para explorar a pé, não perca o Bairro Gótico, que leva esse nome justamente pela arquitetura do período. Para visitar por lá são a catedral da Plaça Nova, e outras praças igualmente incríveis, como a Plaça del Rei e a Plaça del Pi. A última é um ótimo ponto para parar e fazer um lanche nos muitos restaurantes que ficam nela.

Perto do bairro gótico ficam as  Ramblas, com uma infinidade de restaurantes, lojas e também o Mercat de la Boqueria, o mercado público de Barcelona.

viajar em janeiro

Igreja da Sagrada Família em Barcelona

La Rambla em Barcelona

Parque Güell em Barcelona

Para onde viajar em janeiro: New York

De todos os destinos de frio desta lista, NY em janeiro é o único que com com certeza terá neve. Os cenários da Big Apple se transformam em janeiro, e o branco toma conta da cidade. Vale à pena reservar um tempinho para aproveitar e fazer bonecos de neve no Central Park ou andar nas pistas de patinação.

  • Como chegar em New York: O Aeroporto Internacional John F. Kennedy é o principal da cidade e recebe voos direto do Brasil, das principais capitais do país, ou conexões. Em alguns casos, a chegada é feita pelo Newark Liberty International Airport, que fica na região oeste de Manhattan.
  • Onde se hospedar em New York: A ilha de Manhattan é sem dúvida o melhor ponto para se hospedar em New York. A a facilidade de metrô, muitas lojas, pontos turísticos e também cafeterias e restaurantes para todos os lados. Há dois hotéis que nós amamos por lá, o The Bentley Hotel, em Upper East Side, e o RIU Plaza New York, na Times Square.
  • Quanto tempo ficar em New York: Há muita coisa para conhecer em New York, então fique pelo menos uma semana para conhecer os principais bairros e pontos turísticos.
  • Clima de NY em janeiro: É para aqueles que realmente gostam de frio. A chances de neve são altíssimas e a cidade costuma ficar branquinha e com cara de filme.
  • Onde comer em New York: São tantas as opções, que dar um ou dois nomes é pouco. Vamos colocar aqui alguns lugares que gostamos e que ficam em Manhattan. O francês Petite Boucherie, a pizzaria San Matteo Pizza Espresso Bar, o japonês Nobu 57, o italiano Olio e Piu, o americano The Little Owl e a hamburgueria Bareburger.

O que fazer em New York:

New York é uma cidade mutável, o que significa que mesmo que haja pontos turísticos clássicos, o tempo todo aparecem novas coisas para se fazer de diferente. No inverno, as pistas de patinação são um bônus a parte e se você curtir a ideia, vale a pena gastar umas boas horas aprendendo a ficar sob os patins.

As quatro melhores pistas de patinação da cidade são: Rockefeller Rink, que fica em frente ao Rockefeller Center, a Lasker Rink, no Central Park, a Bryant Park, no parque de mesmo nome em Midtown, e a The Rink Standard, no High Line Park. Em todas elas você pode alugar patins ou levar os próprios e há armários para guardar os pertences enquanto se diverte. Mas fique atento, os valores podem variar de um ano para outro, então confira nos site que deixamos disponíveis e leve dinheiro vivo, pois as pistas não aceitam cartão.

Já as atividades clássicas incluem a Estatua da Liberdade, pegando barco  da Statue Cruises na Battery Park, caminha pelo Central Park, que no inverno fica completamente branco, subir no Empire State Building, e ver o skyline da Big Apple, atravessar e ponte do Brooklyn, conhecer a Times Square, e ver alguma peça em cartaz na Broadway (confira nesse post sobre os melhores shows da Broadway).

Se quiser saber mais, leia  nosso post completo com dicas de NY

férias de final de ano

Neve no Central Park

viajar em janeiro

Quinta Avenida em New York

Chip de internet

Para as viagens internacionais, recomendo chip de internet internacional da Easysim4u. Nesse viagem, menos nos passeios de barco, o sinal pegou bem.

Além de pegar super bem, ele muito prático: a gente compra pela web,ele é entregue na nossa casa e configurado. Aí é só colocar no celular quando chegar no pais de destino e ele já começa a funcionar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.