Roteiro de 10 dias em Portugal

Portugal ganhou seu lugar ao sol. Depois de uns anos esquecidos pelos viajantes, o destino ganhou atenção e vem se torna um dos países mais procurados da Europa. E não é por menos. Mesmo tendo uma área menor que o estado de Pernambuco, as cidades lusitanas são cheias de belezas históricas e áreas urbanas agora revitalizadas. Se você ficou louco pra planejar sua ida para Portugal, dá uma olhada nesse roteiro de 10 dias que montamos. A sugestão é uma visitação completa às cidades de Lisboa, Sintra, Cascais, Óbidos, Coimbra e Porto, tudo feito de carro.

Na hora de alugar o carro, uma dica é usar um buscador de preços. A gente usa a rentalcars , porque ele pesquisa preços em todas as locadoras locais e fica mais fácil comparar os valores.

Onde se hospedar em Lisboa, Cascais, Óbidos e Porto:

Mas antes do roteiro, aqui vão algumas dicas de hoteis que adoramos em cada uma dessas cidades. E em Lisboa, escolhemos nos bairros mais lindos, como Baixa, Chiado e Alfama.

Lisboa:

My Story Rossio – Esse hotel super charmoso fica localizado na Praça do Rossio, ponto central para chegar no centro histórico e também com acesso fácil às linhas de metrô e elétricos. Sua estrutura mescla quartos com decoração clean e ambientes clássicos, que preservam o estilo portuguese do século passado.

Browns Downtown e Browns Central – Esses dois hotéis da rede Browns estão localizados no bairro do Chiado, próximos ao metro Baixa-Chiado e ao Elevador Santa Justa. Eles possuem decoração clássica, com elementos inspirados no século XVIII. O Downtown é no estilo apart, com mini cozinha compacta. Já o Central possui somente frigobar e cafeteira.

Vincci Baixa – Localizado próximo à Praça do Comércio, esse hotel 4 estrelas tem quartos ambos, equipados com frigobar, cofre e wi-fi gratuito. O restaurante Tapas & Friends serve diariamente café da manhã e almoço, e também há um louge bar que  serve bebidas refrescantes e lanches leves.

H10 Duque de Loule – Opção para aqueles que buscam tranquilidade e fácil acesso aos pontos turísticos de Lisboa, o H10 fica em um prédio histórico perto da Praça Marquês de Pombal. O local oferece estacionamento privado à 18 euros por dia e terraço com vista panorâmica para a cidade.

Cascais

Hotel Baia – Com uma espetacular vista do rio Tejo, o Baia tem acesso fácil a ciclovia da cidade e ao centro comercial, a 10 minutos a pé. O local também possuí estacionamento privado mediante a reserva, restaurante internacional e terraço ao ar livre no último andar.

The Albatroz Hotel – Outra opção na orla. Os quartos são amplos, alguns tem vista para o rio Tejo e o café da manhã é incluído na diária. O bônus fica pelo estacionamento gratuito oferecido pelo hotel.

Óbidos

Casa das Senhoras Rainhas – Localizado dentro das muralhas de Óbidos, esse hotel-boutique possui quartos amplos em estilo colonial e serviço 24 horas. O café da manhã é incluído nas diárias e o hotel conta com restaurante típico e terraço com bar self-service. Estacionamento público disponível nos arredores da cidade.

Hotel Louro – Esse hotel a 10 minutos da entrada da muralha foi renovado recentemente,  recebendo equipamentos e comodidades modernas em todos os cômodos. Estacionamento gratuito disponível no local.

Porto

Descobertas Boutique Hotel Porto – Ele fica localizado na área da Ribeira, a pouco metros do rio Douro. A decoração mescla mobiliário com peças em referência a “descoberta” do novo continente. Os quartos são amplos, equipados com secador de cabelo, frigobar e cofre.

Hotel Mercure Porto Centro – Totalmente moderno, o Mercure fica localizado próximo a estação de São Bento e a 15 minutos da ponte Luís I. Ainda oferece wi-fi gratuito, bar temático, restaurante regional no último andar e estacionamento mediante reserva.

Agora ao roteiro!

Dia 1: Lisboa

O primeiro dia de viagem começa na Praça do Comércio, um dos cartões postais históricos da cidade, localizada à beira do rio Tejo. Ao redor, prédios antigos funcionam como museus e cafés, ótimos para visitação e uma parada para lanche. Logo em frente se vê o Arco da Rua Augusta, que dá acesso às ruas retas e, mais a frente, ao elevador Santa Justa. Siga por ela até a Praça da Figueira e logo próxima, à praça do Rossio.

No Rossio, faça uma visita guiada pelo  Teatro Nacional D. Maria II (8 euros por pessoa). Depois, ande até a praça dos Restauradores, que além do monumento de mesmo nome, tem ao redor o Museu Nacional do Desporto e o Palácio Foz. É um lugar muito lindo! Dependendo do seu ritmo, volte até o Rossio e rume para o lado oposto, até a Praça Martim Moniz. Lá, pegue o bonde 28 até a parada Largos das Portas do Sol, no bairro de Alfama.

Alfama é o bairro mais antigo e tradicional de Lisboa.  Entre no clima, e se perca pelas ruelas do bairro. Depois, suba ladeira acima em direção ao Castelo de São Jorge, ponto final antes de curtir uma boa casa de fado no bairro. Fique de olho no horário de funcionamento do Castelo, e deixe para fazer a visitação no final do dia, quando o pôr-do-sol acontece.

Para ver um bom fado, siga em direção a parte mais baixa do bairro. Indicamos duas opções que valem à pena, a Casa do Fado,  na rua São João da Praça, nº 86, e a Casa de Linhares, no Arco de Jesus, nº 7.

Praça do Comércio - Lisboa

Elevador Santa Justa - Lisboa

Praça do Rossio - Lisboa

Largos das Portas do Sol - Lisboa

Castelo de São Jorge - Lisboa

Dia 2: Lisboa

No seu segundo dia, continue o passeio pelos bairros históricos. O destino de hoje é  Chiado e o Bairro Alto, ambos com muito o que se ver. Desça no na estação de metrô do Baixo-Chiado e siga novamente para o Elevador Santa Justa. Suba por ele e tenha uma vista privilegiada da cidade.

Vale conhecer o  Convento do Carmo, e sua vizinhança, uma área cheia de prédios históricos para se visitar, como o Museu da Guarda Municipal e o de arqueologia. Depois, termine a tarde no  Bairro Alto, a pouco mais de cinco minutos de caminhada. O bairro é cheio de ruas estreitas e de lugares fofos escondidos para conhecer. Perca-se pelas galerias, encontre lojinhas de artesanato e escolha um restaurante para fazer uma parada e descansar.

No fim do dia, desça para a Parte Baixa e rume para o Cais do Sodré. A área foi toda revitalizada, e é cheia de restaurantes festivos.

Convento do Carmo - Lisboa

Bairro Alto - Lisboa

Cais do Sodré - Lisboa

Dia 3: Lisboa

Reserve o último dia de passeio em Lisboa para conhecer o tradicional bairro de Belém, que merece quase um dia inteiro para ser visitado. Nesse dia não é necessário acordar super cedo, já que a maioria dos monumentos do local abrem a partir das 10 horas da manhã. A melhor maneira de chegar é com o “elétrico” 15E, bonde que sai da Praça da Figueira e leva até lado do Mosteiros dos Jerônimos, em Belém.

O mosteiro data de 1496, e cada uma das suas colunas foi esculpida a mão. É um desbunde. Na hora de almoçar, a dica é ir para o Jardim Vasco da Gama, uma área cheia de restaurantes típicos e cafeterias. Tente o restaurante Os Jerônimos, com comida caseira e regada de bacalhau e azeite de oliva.

Deixe a sobremesa para outro lugar, e prove os famosos pasteis de Belém da  cafeteria que leva o nome do doce e que fica ao lado do Jerônimos. O local é cheio, mas não se assuste. Os atendentes são rápidos e você dificilmente vai perder tempo do seu dia.

Energias recarregadas, é hora de seguir para os principais monumentos de Belém. Tem o Padrão dos Descobrimentos, marco da  saída de Cabral, em 1500, rumo ao novo mundo. Se quiser apreciar uma vista da cidade, suba até o topo do monumento (o valor é de 5 euros por pessoa). Seguindo pela orla, você já verá de longe a Torre de Belém, construída para proteger a entrada do Rio Tejo. O ticket de visitação custa 6 euros, mas aos domingos a entrada é gratuita até as 14 horas.

 

Padrão do Descobrimento - Belém - Lisboa

Torre de Belém - Lisboa

Mosteiro dos Jerônimos - Belém - Lisboa

Dia 4: Sintra

Sintra é uma cidade pequena, gostosa de caminhar, com ruas estreitas e casario colonial. Aqui, uma das grandes atrações são os palácios.

A viagem de Lisboa para Sintra dura cerca de 40 minutos via A37 e a estrada é bem sinalizada. Ao chegar em Sintra, siga direto até o Parque Natural, pois boa parte das atrações fica no alto da serra. A dica aqui é comprar as entradas para as visitações com antecedência. No próprio site do Parque de Sintra é possível conseguir descontos, dependendo do número de tickets que forem comprados.

A primeira parada por lá é na Cruz Alta, ponto mais elevado do parque, à 529 metros acima do nível do mar. O melhor do local é a vista, de onde é possível admirar quase todos pontos que serão visitados depois, inclusive o Palácio Nacional da Pena, que é a próxima parada. Essa imponente construção foi erguida no século XIX e aberta ao público em 1911. Inspirada no romantismo, a arquitetura mistura tons quentes de amarelo e terracota com torres em violeta e azul. Aproveite também para andar pelos jardins, que somam 85 hectares.

Antes de descer até o centro da cidade e almoçar, visite o Castelo dos Mouros. Ao contrário da “pompa” do Palácio da Pena, esse foi onstruído pelos Mouros no século 10, com uma estrutura de pedras irregulares que formam uma extensa muralha que serviu de proteção à cidade.

Depois, é hora de voltar para o centrinho (lindo) de Sintra, e passear pelas suas ruas tranquilas, dando uma pequena parada para o almoço. Indicamos o restaurante Romaria do Baco, com típicos pratos portugueses e wine bar. Mas deixe para comer a  sobremesa na famosa Casa Piriquita, que fica a pouco minutos de caminhada. O local vende os mais variados doces, mas experimente a especialidade da casa, as queijadinhas, feitas a mais de 160 anos.

Ali próximo, fica o Palácio Nacional, construção de inspiração árabe que chama atenção por suas duas torres em formato cônico. O local já foi residência da família real portuguesa e tem acervo desse período histórico. A 5 minutos de carro está também a Quinta da Regaleira, com belos jardins e estátuas criadas pelo proprietário da residência, Carvalho Monteiro. Para fechar com chave de ouro o dia em Sintra, dê uma esticada até o Cabo da Roca, o ponto mais ocidental da Europa. O trajeto dura 30 minutos e tem uma vista linda do oceano Atlântico.

 

Cruz Alta - Sintra

Palácio da Pena - Sintra

Castelo dos Mouros - Sintra

Cabo da Roca - Sintra

Dia 5: Cascais

Depois de conhecer conhecer  Sintra, é hora de partir para Cascais, a pouco mais de 25 minuto saindo da costa. Cascais é uma Búzios de Portugal, bem fofa e gostosa.

Cascais é praiana, alegre, tem pequenas ruas e casas brancas. É banhada pelo Atlântico, e o mar parece muito com o nosso.

A dica aqui é deixar o carro de lado e pegar uma bicicleta. Elas são gratuitas, podem ser retiradas no centro comercial, e só precisam ser devolvidas até as 16 horas. Aproveite o começo do dia para pegar a sua e ir direto até o ponto turístico mais distante, a Boca do Inferno. O local é uma formação rochosa, criada pela ação do tempo e das ondas. Se seguir um pouco mais a frente, vai chegar na praia do Guincho, procuradas pelo amantes do surf.

Retornando ainda pela orla, dê uma parada no Farol de Santa Marta e Casa de Santa Maria. Próximo de lá também há a Fortaleza de Nossa Senhora da Luz, uma das construções mais visitadas de Cascais. O local já funcionou como defesa da cidade e hoje abriga um acervo histórico lusitano. Faça uma parada para o almoço antes de seguir passeio. Indicamos próximo à fortaleza o restaurante Hífen, com vista para a praia da Ribeira e com menu contemporâneo regado de vinho e ingredientes frescos.

Ou você pode simplesmente aproveitar dia para dar uma volta no centro da cidade, que é uma graça, e relaxar na praia. Sinceramente, a gente adora essa opção. É bom tirar um dia para descansar, e Cascais é ideal

 E se quiser, siga para Estoril. Você pode ir diretamente de carro ou pegar um trem até lá, que fica próximo à Praia de Tamariz. Aproveite para comer  em uns dos restaurantes/bar da orla da praia.

Fortaleza de Nossa Senhora da Luz - Cascais

Boca do Inferno - Cascais

Farol de Santa Marta - Cascais

Forte da Cruz - Cascais

Cassino de Estoril - Cascais

Dia 6: Óbidos

Depois de uma noite de descanso é hora de aproveitar a histórica cidade de Óbidos. De Cascais até  Óbidos , leva  aproximadamente uma hora pelas vias A5, A9 e A8.

Óbidos é pequena, charmosa, e fica dentro de uma muralha. As  casas são brancas e amarelas com flores.

Depois, é seguir pela rua Direita, a principal da cidade. Lá você encontra café, lojinhas de artesanato e antigos casarios históricos. Aproveite para parar em algumas das cafeterias e comer doces portugueses fresquinhos. Indicamos a pastelaria D’ Avó Adélia, que produz os melhores doces em Óbidos.

Depois, a dica é explorar ruelas escondidas. Muitas delas possuem mais café e lojas, tão charmosas como as da rua Direita, e com pouco movimento. Depois de se perder pelas curvas das ruas, siga até a Igreja de Santiago, que hoje funciona como livraria. Do lado já vai dar para ver o imponente Castelo de Óbidos, a principal construção medieval do local. Hoje ele é fechado para a visitação, e funciona como pousada de luxo.

Agora falta subir em alguns trechos da muralha para apreciar a vista. Recomendamos passar um pouco mais pela vila e reservar a ida no final do dia, antes do pôr-do-sol. Não é necessário pagar nada para subir, mas precisa ter cuidado em algumas partes, já que não há proteção de grades e apoios. De noite, escolha um bom restaurante para jantar. Indicamos o Petrarum Domus, que tem no cardápio pratos típicos e também petiscos. Não deixe de pedir o licor de ginjinha, feito de cerejas da região.

Muralha de Óbidos

Castelo de Óbidos

Óbidos

Mercado Medieval de Óbidos

Dia 7: Coimbra

A viagem continua em direção à região norte de Portugal. O trajeto de Óbidos à Coimbra leva cerca de uma hora e 20 minutos de carro, então saia cedo para aproveitar a cidade e seguir até o Porto no final do dia. As principais estradas que você vai seguir são a A8, A1 e IC2, todas bem sinalizadas e normalmente com movimento moderado. Deixe o carro na área do elevador SMTUC e comece o passeio pela parte baixa da cidade.

Fachadas com azulejos azuis e brancos predominam a área da Baixa, considerada centro histórico de Coimbra. Aproveite para dar uma parada no Café Santa Cruz, na Praça 8 de Maio. Não deixe de provar um doce regional chamado de “crúzio”, feito com creme de ovos e amêndoas.

De lá continue o passeio em direção à parte alta da cidade. Se você continuar pela rua Visconde da Luz, vai chegar até a Porta de Barbacã, primeira parada entre os bairros. Esteja descansado, pois a subida requer fôlego. Logo no começo fica a Torre da Almedina, que já serviu de proteção para a parte murada da cidade. Aprecie as ruelas, lojinhas e cafés enquanto estiver descansando para continuar a subida. O ponto final é na Sé Velha, construída em 1184, com arquitetura que mescla o romântico e o gótico.

Se já estiver na hora do almoço, faça uma parada no restaurante Maria Portuguesa, que tem pratos típicos e vinhos da região e ótimos preços. Depois é hora de ir para a Universidade de Coimbra, principal ponto turístico da cidade. Compre os tickets de visitação e comece pelo Paço das Escolas, que de um lado tem uma vista panorâmica da cidade, e do outro, a famosa escadaria para o prédio principal. Lá você vai poder visitar a famosa Biblioteca Joanina, com três andares e mais de 55 mil exemplares catalogados.

 

Igreja de Santa Cruz - Coimbra

Porta de Barbacã - Coimbra

Universidade de Coimbra

Biblioteca Joanina - Coimbra

Porta Férrea - Coimbra

Dia 8: Porto

Assim como em Lisboa, o primeiro dia de passeio no Porto é pelas belezas históricas da cidade. Comece peça área da Universidade, ao lado da praça de Lisboa e do Jardim de Cordoaria. O local foi revitalizado recentemente e é ideal para passear e fazer uma pausa para tomar um café. Também em frente a praça de Lisboa ficam a Igreja e Torre dos Clérigos.  Por 4 euros é possível subir até o alto e ter uma vista do rio Douro e da cidade de Vila Nova Gaia.

O outro lado, na praça de Gomes Teixeira, ficam as igrejas do Carmos e Carmelitas, que merecem uma parada para visitação nos interiores. Se você for fã de livrarias e Harry Potter, siga para a rua das Carmelitas, onde fica a Lello & Irmão, construída em 1906, em estilo neogótico. Após conhecer essa área, caminhe em direção a estação de São Bento, para ver seu interior com azulejos típicos. No caminho há para ver a estátua de Dom Pedro IV e a igreja de Santo Antônio dos Congregados.

Depois de uma pausa para o almoço por perto da estação, siga em direção à área da Ribeira, com vários restaurantes. É uma delícia, e fica de frente pro rio.  Recomendamos  o Café do Cais, a Adega São Nicolau e o Restaurante Farol da Boa Nova, todos com boa carta de vinhos e pratos lusitanos.

Igrejas do Carmos e Carmelitas - Porto

Livraria Lello & Irmão - Porto

Estação de São Bento - Porto

Sé do Porto

Cais da Ribeira - Porto

Dia 9: Porto

Esse é o dia de atravessar o rio Douro e conhecer a cidade de Vila Nova de Gaia. Por lá estão algumas das melhores caves para degustação de vinhos.

Perca-se pelas ruas de Vila Nova de Gaia e pelas caves no caminho. Uma delas leva até a Igreja Paroquial de Santa Marinha, com arquitetura colonial que inspirou algumas das construções feitas no Brasil. Na volta para o Porto, passe pela parte baixa da ponte, que tem uma diferente perspectiva da vista do rio Tejo. Termine o dia novamente no Cais, escolhendo outro restaurante português regado de azeite de oliva e bacalhau.

Ponte D. Luis I - Porto

Mosteiro da Serra do Pilar - Porto

Igreja Paroquial de Santa Marinha - Porto

Dia 10: Porto

Levante cedo para aproveitar o último dia de passeio em Portugal. Desça na estação Bolhão do metrô para visitar a famosa Capela das Altas, igreja que tem o exterior todo adornado com os clássicos azulejos azuis e brancos. Logo ao lado fica o Mercado do Bolhão, que abriga barracas de comida, flores e artesanato.É um ótimo lugar para comprar lembranças e comer doces.

Pegue a rua Santa Catarina em direção à Praça da Batalha. No caminho, lojinhas e cafés podem ser bom pontos de parada. Entre eles, o clássico Magestic Café, aberto em 1921 e decorado com espelhos, vitrais e mármore. Já na praça, dá para visitar o antigo cinema Batalha e a estátua do Rei Dom Pedro V.

Depois, só passeie, com calma, e se despeça de Portugal. Taí um lugar que deixa saudades.

 

Capela das Altas - Porto

Mercado do Bolhão - Porto

Igreja da Santíssima Trinidade - Porto

7 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.