Atacama Chile: as dicas e roteiro do que fazer lá

A primeira visão é Marte. Terras vermelhas se extendendo até onde o olhar alcança, crateras aqui e acolá, e vulcões, dezenas deles. Mas à medida que adentramos no Deserto do Atacama, no Chile, uma nova paisagem se revela. Nunca pensei que um deserto pudesse ter paisagens tão variadas, e tão impactantes. A cada passeio, descortinam-se lagos esmeraldas, termas de águas quentes, trilha rodeadas de verde,  cânions cor de rosa, salares cristalizados, formações de cinza vulcânica brotando do chão, gêiseres. Nesse post a gente mostra nossa roteiro no Atacama de 6 dias, com o que fazer por lá.

Onde ficar: nosso hotel no Atacama

O Atacama é democrático ao receber os viajantes. Há de hostels a hoteis super sofisticados e com estrutura all inclusive completa (veja aqui  o post que fizemos com a lista de hoteis no Atacama) . O nosso se enquadra nesse último, o Tierra Atacama, e ficar nele faz toda a diferença (reserve pelo booking.com).

Resumidamente, todo o hotel foi projetado com vista para o vulcão Licancabur, é uma arquitetura arejada, com janelões sempre escancarados para o exterior. A estrutura do hotel inclui ainda sauna, spa, piscina aquecida externa e interna, hidromassagem, sala de ioga. E em alguns dias, o Tierra surpreende os hóspede com um jantar sob as estrelas (sendo que o céu do Atacama é um dos mais incríveis do planeta) e com música local.

O Tierra também tem uma equipe de guias próprios, o que torna os passeios exclusivos e sob medida. Todos os passeios que fizemos foram com o hotel. E o atendimento é de primeira linha: os guias são bilingues, super treinados, e acredito que estão entre os melhores da região. Além dos passeios inclusos na diária, o sistema também abarca refeições, bebidas, lanches, transfer de Calama, entrada para os atrativos.

Veja aqui mais roteiros no Chile

Guia do Atacama

Onde ficar no Atacama: melhores hoteis Tierra Atacama

O Spa do Tierra Atacama, com a vista do vulcão Licancabur

Como chegar no Atacama

Você precisa voar para Calama, e lá pegar o transfer de 1h30 até o Atacama. As empresas que voam para Calama são: Latam, Sky e Jetsmart. Essa última é lowcost, e costuma ter voos mais baratos.

Para achar os voos mais baratos, a gente usa sempre o buscador do Skyscanner. Para o Atacama, achamos ida e volta por lá por R$1368.

como chegar no Atacama

Como chegar no Atacama: voamos para Calama (achamos os voos mais baratos pelo skyscanner) e depois pegamos um transfer de 1h30 de carro

Deserto do Atacama quantos dias ficar

Há muito o que ver e fazer no Atacama. Recomendo pelo menos 6 dias por lá. É daí para mais.

Qual melhor época para ir deserto de Atacama

No deserto a amplitude térmica é muito acentuada, com dias bem quentes e noites bem frias.

No verão, os dias são mais quentes e a noites frias.

No inverno, os dias são menos quentes, e as noites mais frias, em torno de 0 graus. Lugares com altitude mais alta, como Tatio, chegam a bater 10 graus negativos

Março, Abril, Maio, Setembro e Outubro são os meses mais agradáveis, com dias em torno de 25 graus, e noite perto de 7 graus. Fomos em maio, a foi ótimo.

Sobre altitude: San Pedro fica a 2.400 metros, a alguns passeios chegam a pouco mais de 5 mil metros. Começa pelos mais baixos, para acostumar o corpo. Não sentimos nada demais por causa da altitude. Apenas uma leve falta de ar em alguns trilhas, na hora das subidas.

Deserto Atacama roteiro: dia 1 no Vale de Marte

Pegamos um voo noturno Rio-Santiago-Calama, mais um transfer de 1h30, e decidimos relaxar no hotel durante a manhã (taí mais uma vantagem de ficar num hotel com o Tierra: relaxar faz parte da programação; não dá nem de longe a sensação de estar perdendo tempo).

Depois, rumamos para o Vale de Marte (ou Vale da Morte).

Explicando um pouco, há passeios de meia-dia e de dia inteiro. Para dar tempo de conhecer mais lugares, eu recomendo – quando for um passeio de meio-dia – combinar um de manhã e um de tarde. Os da manhã costumam sair por volta das 8h e retornar 13h. E os da tarde saem 15h-15h30 e voltam 19h. Mesmo fazendo os dois, dá tempo de almoçar com calma e ainda dar uma relaxadinha.

Agora voltando ao Vale de Marte: ele fica na Cordilheira do Sal e é um passeio fácil, lindo, que explora uma área de cordilheiras e cânions vermelhos, e termina numa duna com sandboard. É interessante levar em conta o seguinte: o Atacama está a pouco mais de 2 mil metros de altitude, e alguns passeios chegam a quase 5 mil. Então, os tours dos primeiros dias devem ser sempre mais fáceis e em altitudes menores, para acostumar o corpo com a altitude. É o caso do Vale de Marte, que tem uma caminhada de uma hora apenas. sem subidas e sem esforço físico.

dicas do atacama: Vale de Marte Atacama

Dicas do atacama: passeio pelo Vale de Marte

O que fazer no Atacama: dia 2 no Vale da Lua e Salar do Atacama

Nosso dia começou com o passeio para o Vale da Lua, também na Cordilheira do Sal. Da mesma forma que o Vale de Marte, é um tour de meia dia, com uma trilha super fácil até um mirante  de onde se tem uma vista linda de toda essa baixada.  Depois, descemos para vale, e passamos por áreas de sal cristalizado. É um lindíssimo. Gostei muito.

Depois do almoço e de uma relaxadinha no spa, saímos para o nosso seguindo passeio,  que adorei ainda mais: ver o pôr-do-sol no Salar do Atacama, que fica a uma meia horinha de carro de distância. Trata-se de um deserto de sal como de Uyuni, mas como no Atacama não chove, o sal não alisa sobre o solo. O fenômeno que se vê aqui é um sal enrugado, formando um desenho super diferente, e que quando reflete o sol ganha tons alaranjados. E no meio disso, lagoas, muitos flamingos e um fim de tarde com céu rosa. Lindo de morrer. Para fechar com chave de ouro, o Tierra ainda prepara uma mesa de queijos e vinhos ao ar livre.

De noite, uma surpresa que tem bem a assinatura do Tierra. Um super jantar sob a luz das estrelas, com luz de velas, fogueira e músicos locais.

 

Vale da lua Atacama

O solo vermelho em contraste com o céu no Vale da Lua, Atacama. Que paisagem!

vale da lua atacama

O passeio para o Vale da Lua, no Atacama, tem nível fácil e é lindo

Atacama Chile

Salar do Atacama

Salar do Atacama: a visão do sala cristalizado no chão, e os vulcões ao fundo

Salar do Atacama

Mais uma do Salar do Atacama na hora do pôr-do-sol. Ficamos apaixonados pela paisagem

 

Deserto do Atacama dia 3: Termas Puritana, Bike na Quebrada del Diablo e estrelas

Há duas formas de se chegar nas Termas Puritama: de carro ou pela trilha. Quem vai de carro fica mais tempo nas 8 piscinas termais com água de origem vulcânica e temperatura em torno dos 33 graus. Quem vai a pé, segue o caminho deslumbrante do cânyon Guatin, atravessado por um rio e cercado de plantas e cactos gigantes. Preferimos o caminho a pé. Leva 1h30 de caminhada por essa paisagem, com apenas uma leve subida (falta só um pouco de ar , porque chegamos num altitude de quase 3500 metros), e depois dá tempo de ficar 40 minutos nas termas. Como sempre, o programa se encerra com uma mesa de chocolates, pães, queijos e frutas secas.

De tarde, saímos para um passeio que achei super diferente e divertido. Bike nos cânyons da Quebrada del Diablo. A gente já sai do tierra pedalando as magrelas, num trajeto de cerca de 45 minutos em terreno plano (quem quiser , pode ir de carro até a entrada do cânion) até adentrar na quebrada. Daí em diante, é uma trilha no meio de cânions que vão mudando de cor: rosa, cinza, areia. UAU!

Para terminar  nosso dia, fizemos um passeio para observação astronômica. Devido à altitude e ao clima seco, o Atacama é considerado um dos melhores lugares do planeta para se observar o céu. Nesse dia, o céu não estava muito limpo, e mesmo assim conseguimos ver várias constelações e planetas como Marte e Vênus. A observação é feita com um super telesccópio.

Mas a cereja do bolo é o Alma (visitas podem ser agendadas, mas com muita antecedência e precisam ser aprovadas),  um consórcio de vários países (Chile, Europa, EUA, China) para a criação do maior projeto astronômico do planeta. O Alma tem 66 antenas gigantescas que captam radiações do universo e convertem em imagens. Hoje, ha 16 antenas em funcionamento, e a previsão é que na próxima década todas elas estejam operando. E é inimaginável o que os cientistas descobrirão com todas essa potência. Será que teremos finalmente descobrir a origem do Universo?

 

Termas Puritana Atacama

A trilha para as Termas Puritama, pelo meio do cânion, e com sua vegetação linda

Termas Puritana Atacama

Uma das piscinas termais

Termas Puritana Atacama

E essa vegetação incrível do deserto, chamada Cola de Zorro

bicicleta Atacama

Trilha de bike na Quebrada del Diablo

Marte ou Atacama?

Dia 4 – Salar de Tara (passeio de dia inteiro)

São quase três horas de carro até chegar no Salar de Tara, a 4.700 metros de altitude, mas vale à pena. É um passeio de dia inteiro, cênico e com paisagens impressionantes.

A primeira parada é no Monges de la Pacana, um conjuntos de pináculos feitos de cinza vulcânica e terra que brotam do chão. A partir desse ponto, começa um off road até Tara.

Chegando em Tara, é de cair o queixo. Vulcões, um lago azul rodeado de vegetação dourada, falésias impressionantes, vida selvagem e um horizonte multicor é o que reserva esse salar .

O almoço é aqui mesmo, numa mesa montada de frente para o lago. Um privilégio e tanto. Depois, é hora de voltar para Atacama, mas não sem mais uma parada. Na volta do passeio, um stop em Machuca, o vilarejo de um rua só com uma antiga igreja que parece cenário de Cem Anos de Solidão.

O visual do Salar de Tara, um dos passeios de alta altitude no Atacama

O visual do Salar de Tara, um dos passeios de alta altitude no Atacama

vila de San Pedro do Atacama

A vila de San Pedro do Atacama, e as construções de barro. Linda!

vila de San Pedro do Atacama

A vila de San Pedro também é ótima para comprar artesanatos

Dia 5 – Gêiseres del Tatio (passeio de dia todo)

Nunca vimos um gêiser antes, então imagina o que não sentimos diante de dezenas deles. Os gêiseres del Tatio estão a 5 mil metros de altitude, e jorram vapor quente e água de buracos que existem no chão. Isso acontece porque há rios subterrâneos que encontram com o magma dos vulcões, fervem e viram vapor, ganham pressão, e precisam sair. Então jorram para a superfície.  É um espetáculo! Segundo nosso guia, umas das teorias é que essa região, na verdade, é a caldeira de um vulcão.

Para chegar até o local, são cerca de 2 horas de carro a partir de San Pedro de Atacama. O passeio começa antes do sol nascer, quando está bem frio (porque a medida que o dia aquece, a fumaça dos gêiseres se dissipa). Quando chegamos lá, a temperatura era de -2 graus, e no dia anterior tinha sido -5 graus.

Além dos gêiseres, há por lá um piscina de águas termais. Nós não entramos. O Tierra não recomendo ao mergulha nelas, e nosso guia explicou que ela tem altos graus de metal, e que foi fechada faz um tempo porque continha muitos excelentes humanos no fundo. :((

Depois dos gêiseres, lanchamos por lá (de uma super mesa de frutas, sanduíches e chocolate quente) e retornamos.

Chegamos ao hotel por volta das 14h, aproveitamos o spa, e fomos passear no centrinho de San Pedro.

O vilarejo é uma graça. Duas ruas com casas de adobe, da cor do barro ou pintadas de cal, alguns cafés, bares e restaurantes animados, e muitas lojas de artesanato. É um vilarejo muito típico e tranquilo, gostoso pra passar uma tarde.

Também tem muitas agências de passeio, então se você não ficar num hotel com o Tierra, não se preocupe: contratar todos esses tours em San Pedro é facílimo, e na hora mesmo, nem precisa de antecedência.

O passeio para os géiseres del tatio

O passeio para os géiseres del tatio

Outros passeios em Atacama:

  1. Petroglifos e Vale do Arco Íris  – Para quem gosta de curiosidades históricas, esse passeio além de todo o visual do Vale do Arco-Íris e suas montanhas de diferentes cores, tem também os petroglifos, que são desenhos rupestres gravados nas rochas e que datam da pré-história. Nós não fizemos esse passeio, mas alguns amigos foram e amaram. O passeio de de meio dia.
  2. Lagunas Altiplânicas: É um passeio de dia inteiro. A primeira parada do tour é em Socaire, um povoado Atacamenho bem típico e localizado a 3000 metros. Depois, prossegue para as  Lagunas Miscanti e Meñiques, aos pés de uma cadeia de vulcões cobertos com neve, cujas margens são preenchidas por uma vegetação rasteira e de cor dourada. É um dos passeios mais populares do Atacama. Não tivemos tempo de fazer, uma pena, mas ouvimos bons relatos.
  3. Lagunas Escondidas e Cejar –  São um conjunto de pequenas lagoas com nível de concentração de sal altíssimo, e onde é impossível afundar. O corpo boia sem esforço. Há um tempo atrás ela ficou fechada por apresentar altos níveis de metais e minerais em suas águas, então não se demore dentro delas.

Sobre seguros de viagem

Não viaje para o Atacama sem fazer um seguro de viagem internacional. É um local com muitas trilhas, e alta altitude. Para saber qual seguro contratar, e comparar valores, use o Seguros Promo. É uma uma plataforma que faz um busca em todas as opções existentes no mercado. A ferramenta é ótima!

Chip internet internacional:

Para o chip de internet internacional, usamos o da Easysim4u. Pegou bem no Atacama. Não foi ultra rápido, mas foi bom.

Mais posts sobre o Chile:

Conheça Pucon

Chiloé, o arquipélago que parou no tempo e que nós amamos

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

6 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.