7 lugares para viajar em agosto

Chobe_National_Park_030

Viajar é muito bom, mas aqueles que optam por ir em meses de baixa temporada aproveitam mais as atrações e ainda conseguem bons descontos de passagem e hospedagem. O mês de agosto é um deles, mas vale a pena ficar de olho nos melhores destinos para não entrar em furada, e ainda tentar aproveitar as atrações sazonais. Para isso, selecionamos sete lugares para viajar em agosto no Brasil e no mundo.

6 – Botswana: a maior colônia de elefantes da África 

lugares para ir em agosto: Botswana

Pouco visitadoae com riquezas naturais por todos os cantos, Botswana é um país que oferece inúmeras atrações, desde a capital vibrante de Gabarone até as paísagens selvagens do Parque Nacional de Chobe. O mês de gosto está entre os melhores para a visitação. O clima por lá é inverno, com manhãsagradáveis  e noite mais frescas e frias. Além disso, a frequência de chuva é baixa, facilitando os passeio, principalmente para a observação da fauna e flora local.

Os safáris são as principais atrações e guardam as maiores belezas do país. O mais famosos dele é visitar o Parque Nacional de Chobe, no norte de Botswana. É nele que fica a maior população de elefantes do mundo, chegando a quase 120 mil espalhados pelo parque. Também pode ser observados babuínos, impalas e muitas espécies de aves nativas. É possível fazer o passeio por terra, em jipes, ou também por barco, que dá uma visão diferenciada das espécias e a aproximação é maior, sempre respeitando o habitat do animais.

Com o mesmo estilo natural tem o passeio pelo rio Okavango. Paisagens ricas em vida animal, o trajeto é feito pelos barcos, mas a melhor atração por lá é andar de Mokoro, pequenas balsas para até dois passageiros. Essa embarcação pequena chega a lugares que os demais veículos não conseguem ir, principalmente á uma área habiatada por hipopótamos. A última opção de safári é pela área de Kalahari, que até pouco tempo era fechada para visitação. A vida animal por lá é mais selvagem, justamente por ter sido aberta a poucos anos, e abriga leões, guepardos e também girafas.

Para fica hospedado no parque Chobe, com vista para as belezas africanas, a melhor opção é o hotel Ngoma Safari Lodge. Os quartos são decorados com peças artesanais típicas e possuem janelas panorâmicas com vista para o safari.

2 – lugares para viajar em agosto: Bonito – Mato Grosso do Sul

Ir para Bonito em Agosto

Paisagens intocadas com grutas, cachoeiras e rios que formam piscinas naturais fazem parte do cenário exuberante de Bonito. Os passeios são marcados, com número limitado de visitantes por vez, perfeito para quem quer curtir com tranquilidade.  Em agosto o clima da cidade é seco, com pouca chuva e temperaturas amenas durante os dias e noites frescas.

É nessa época do ano que os rios estão mais cristalinos e com maior visibilidade, perfeitos para pratica de mergulho e flutuação. Os mais bonitos da região são o Rio da Prata, Suciri e Nascente Azul, com cores que variam do azul turquesa ao verde. As cachoeiras também estão no roteiro de Bonito. Quedas d’água e pequenas grutas fazem parte do Parque das Cachoeiras, o mais conhecido e visitado da região.

Outros dois passeios merecem destaque na viagem. O primeiro deles é a Gruta Azul, símbolo de Bonito. Após descer a gruta e observar as estalactites e estalagmites que se espalham pelas paredes, chega-se ao lago de cor azul intensa, que dá nome ao lugar. Um dos passeios contemplativos que mais impressionada. Por fim, segundo é a descida pelo abismo de Anhumas, perfeito para os amantes de aventura. O pacote inclui rapel e mergulho, com um cenário natural de tirar o fôlego.

Uma boa opção de hospedagem em Bonito é o Hotel Pousada Águas de Bonito. A propriedade está localizada em uma área rodeada de jardins em meio aos rios e mata preservada. Além disso, os hospedes podem aproveitar da agência do hotel para reservar os passeios pelo pontos turísticos da cidade.

3 – Lençóis Maranhenses – Maranhão

Lencois Maranhenses em agosto

Considerado umas das jóias brasileiras, os lençóis maranhenses estão entre os destinos naturais mais procurados do país. A melhor época de visitação é quando as piscinas naturais, formadas pela chuva, estão cheias. O mês de agosto está dentro deste período, com boas opções de hospedagem e passagens aéreas.

Os lençóis em si ficam próximos a cidade de Barreirinhas, a quatro horas da capital São Luis. Ao chegar lá, a paisagem de areias brancas se espalha pelo horizonte, pontilhada por lagoas de todos os tamanhos e tons esverdeados. É necessária a utilização de guias credenciados para entrar no Parque dos Lençóis, então vale se programar com antecedência.

As maiores atrações da região são as lagoas Bonita e Azul. As duas são verdadeiras piscinas, com águas calmas e de temperatura agradável. Para chegar nelas é necessária uma caminhada pelas dunas, mas o esforço vale à pena. O recomendado é reservar um dia para cada uma delas, mas se o tempo for curto, vá na lagoa Azul pela manhã e na Bonita a noite, pois o pôr do sol da segunda é um verdadeiro espetáculo.

Outra opção é fazer o passeio de voadeira pelo Rio Preguiças, que corta a cidade de Barreirinhas em direção ao mar. Durante o percurso, cenários com mangues e dunas se misturam, mostrando a diversidade natural do Maranhão. O espetáculo termina com o pôr do sol visto do Rio. Também é possível conhecer a região de Monomotor. O vôo dura de 25 a 30 minutos, mostrando um ângulo inédito dos lençóis.

Para aproveitar não só as belezas dos Lençóis, mas relaxar entre os dias de visita, a melhor opção é se hospedar em Barreirinhas. Um hotel que oferece chalés em estilo rústicos e com varandas privativas é o Encantes do Nordeste. À beira do rio Preguiça, o hotel ainda oferece atividades coo passeio no rio e excursões em veículo 4×4, além de translado para São Luís e Jericoacoara.

 4 – Sul da Bahia: roteiro para viajar em agosto

Sul da Bahia em agosto

O litoral sul da Bahia está entre os melhores destinos para se conhecer no mês de agosto. É a época com menos chance de chuvas, as temperaturas continuam elevadas e a baixa temporada oferece bons preços de hotéis e passagens aéreas. A melhor opção para aproveitar é fazer uma Road trip que vai de Porto Seguro à Caraívas, passando pelas belezas naturais da costa baiana.E UM ADENDO: ESSA É A REGIÃO DA BAHIA COM MENOR INCIDÊNCIA DE CHUVAS NESSE ÉPOCA DO ANO.

O roteiro conta com praias de areias brancas e mar com tons que variam do azul ao verde esmeralda. Algumas das praias imperdíveis são a do Espelho, famosa por suas piscinas naturais, Ponta de Itaquena, área de preservação permanente com desova de tartarugas marinhas, e da Coroa Vermelha em Porto Seguro, perfeita para relaxar entre os coqueiros com muita sombra e água fresca.

Além disso, o litoral sul da Bahia recebe a visita das baleias jubarte entre os meses de julho e outubro, época de migração da espécie. Empresas locais especializadas oferecem passeios para observação, acompanhados por biólogos que explicam um pouco sobre os animais. Para que gosta dos passeios ecológicos, há também o Parque Nacional do Pau-Brasil. É a maior reserva da árvore que dá nome ao país e tem muitas atividades para a família, como arvorismo, trilhas e cachoeiras.

Termine a viagem no vilarejo de Caraívas. Pelas ruas não passam carros e a arquitetura dá ao local um tom rústico e intocado.  Relaxar nas praias, passear pelo rio Caraíva ou mergulhar na Ponta do Corumbau, são algumas das atividades por lá. Como animação ficam as casas de forró, que movimentam a vila nos finais de semana.

O ideal é fazer a Road trip usando algumas das cidades como base. Recomendamos a hospedagens em Arraial D’Ajuda, Trancoso e na simpática vila de Caraíva. O hotel Baixú Village fica em Arraial, a pouco mais de 100 metros das águas claras da praia. Além disso, há opções de acomodações para toda a família. Em trancoso, relaxe no hotel Bahia Bonita, a pouco menos de um minuto da praia. Os quartos possuem decoração tropical e opções com hidromassagens. Já em Caraívas, a Pousada Lagoa é uma das opções mais charmosas. Entre o rio e a praia, a decoração rústica e tropical dão um toque especial ao clima praiana.

 5 – Minas – Tiradentes, Ouro Preto e Mariana

Sul de Minas em agosto

As riquezas mineiras vão além das belas naturais. A culinária, arquitetura histórica e povo acolhedor fazem do Estado uma das melhores opções para se visitar no país. Em agosto, as temperaturas estão mais baixas, chove pouco na região e as cidades da Rota Imperial oferecem opções baratas  de hospedagem e atividades para quem viaja com a família ou a dois. Além de Ouro Preto e Mariana, vale a pena dar uma esticada até Tiradentes e conhecer um pouco do cenário colonial nacional.

Para fazer esse roteiro, é preciso saber que as cidades de Ouro Preto e Mariana ficam a pouco mais de 2 horas e meia  de Tiradentes, então o ideal é começar por elas e deixa a outra para fazer no final da viagem, ou vice versa. Com Ouro Preto é maior e tem mais atividades, deixa para visitar Tiradentes no final da viagem e relaxar pelas ruas entre os casarões antigos e aproveitar o pôr do sol de alguma ladeira.

Comece cedo pela cidade de Ouro Preto, que ganhou o título de Patrimônio Histórico da Humanidade por abrigar o maior conjunto de obras barrocas brasileiras. São igrejas, casarões e museus com esse estílo artístico. Os principais são Igreja são Francisco de Assis, Matriz Nossa Senhora do Pilar e o Museo da Inconfidência, mas a listagem é grande e cada uma delas vale a pena à visita. Não esqueça de, entre uma igreja e outra, aproveitar as feiras de artesanato local que usam a pedra sabão como principal matéria prima. Os itens de decoração estão entre as peças mais procuradas.

Reserve um ou dois dias para conhecer Mariana, a cidade mais antiga de Minas Gerais, que fica a pouco menos de 30 minutos de Ouro Preto. Se estiver na região em um final de semana, faça a visita por trem. O passeio só acontece aos sábados, domingos e feriados, dando uma sensação de voltar no tempo. Em Mariana a arquitetura e história também fazem parte do roteiro, mas, se der para incluir na viagem, vá conhecer a Mina de Ouro da Passagem. Ela foi uma das maiores minas de exploração de ouro do país e está aberta a visitação, com direito a passeio pelos corredores de extração de minério.

O fim do roteiro fica reservado Tiradentes. Em qualquer esquina há um bom restaurante caseiro que serve os mais variados pratos. Feijão tropeiro, tutu e toremos não faltam, assim como os doces e quitutes. Imende entre uma biliscada e outro o passeio pelo centro histórico e pelas feiras de artesanato. Para aqueles que querem contato com a a natureza, as trilhas da Serra de São José e o passeio de Jipe são boas opções de diversão. Termine os dias do alto de alguma ladeira para apreciar o entardecer. A mais famosa dela fica em frente a Igraja de São Francisco de Paula, com vista privilegiada para o centro.

Tanto Tiradentes quanto Ouro preto possuem hotéis e pousadas com estilo mineiro rústico e aconchegantes. Em Tiradentes a Pousada Marília de Dirceu fica próximo ao centro histórico, com decoração em madeira e ladrilho português. Já em Ouro Preto, aposte na Pousada Solar da Ópera, que fica em um edifício do século XIX, também no centro histórico.

6 – Curaçao

Curaçao em agosto

Longe da rota de furacões e com as belezas paradisíacas do Caribe, Curaçao é a opção certa para quem quer viajar no mês de agosto para essa região. As temperaturas ficam altas e chove pouco durante os dias, perfeito para quem quer aproveitar o clima tropical da região. O que não falta mesmo é opção de passeios para todos os gosto, principalmente para quem viaja com crianças.

Já que o mar é do Caribe, as prais são, sem dúvida, as principais atrações. Dentre todas, a praia de Kenepa é considerada a mais bonita. As águas claras e mar calmo convidam à relaxar nas areias ou curtir um mergulho refrescante. Por lá também dá para fazer uma dobradinha e visitar o Parque Nacional Shete Boka, A maior atração do parque são as colunas de água que se forma com o choque do mar com a costa, que podem chegar a 10 metros de altura. Essas atrações ficam ao norte da ilha, que é menos visitada e com pouca estrutura, então vale a pena levar junto lanches e muito protetor solar.

Outro passeio imperdível e não muito conhecido é ir até a pequena ilhota chamada Klein Curaçao, que fica ao sul de Curaçao. O passeio não está entre os mais baratos, fica em média $100 doláres por pessoa, e a viagem de barco dura em torno de uma hora e meia em mar aberto, mas o visual vale todo o esforço. O azul esverdeado do mar e a areia branca da praia formam um contraste perfeito, criando o clima de paraíso na terra. A melhor atração por lá é relaxar ao sol e explorar a transparência da água com snorkel. A tartarugas são visitas frequentes e faze o passeio ser mais bonito ainda.

Por fim, os passeios no Mercado Velho, com restaurantes típicos, e as construções coloridas nos agitados centros de Punda e Otrobanda fecham o roteiro de Curaçao. Caminhar pela manhã por esses lugares e aproveitar a visita vale à pena, mas é a noite que as luzes iluminam as ruas e a animação toma conta da atmosfera. O cartão postal da ila são os casarões holandeses de Punda, com os melhores e mais famosos restaurantes típicos. Para aproveitar um clima mais local, que é frequentado por moradores, Otrobanda é a melhor opção, também com passeio a beira rio.

Aproveite as belas praias de Curaçao em um hotel charmoso próximo ao centro de Willemstad. O BijBlauw está a 10 minutos da praia de Mambo e a 20 minutos do Mercado Flutuante. Ainda há opções de quartos para casais e também para famílias, com varanda privativa virada para o mar.

7 – Yosemite – Califórnia

Yosemite em agosto

Curtir a natureza, montanhas, vales, lagos e trilhas são algumas das atrações de Yosemite, um dos parques naturais mais procurados e famosos dos Estados Unidos. O mês de agosto está entre os mais bonitos para visitá-lo, pois os lagos se transformam em verdadeiras praias e as quedas d’água estão com mais volume e cheias de vegetação. É possível chegar em Yosemite das principais cidades do oeste americano, mas a mais próxima delas é San Francisco, a 4 horas de carro.

As hospedagem podem ser feitas nas pequenas cidades que ficam ao redor do parque, mas há também opções para quem quer curtir o tempo 100% dentro dele, em contato com a natureza. As opções são levar sua própria barraca e acampar nas áreas próprias, ficar em uma “hotel” de barracas pré montadas ou em hotéis convencionais no estilo montanha. Quem quer reservar um espaço em uma das opções dentro de Yosemite deve fazer a reserva com antecedência, já que há muita procura nessa época.

A cidade de Oakhurst tem boas hospedagens e é a mais próxima da entrada do Parque (cerca de 25 km). Indicamos o hotel Best Western Plus Yosemite Gateway Inn, que possui quartos simples, com opções para família, e oferece café da manhã na diária. As opções de hotéis e áreas de camping são reservadas diretamente pelo site do Yosemite National Park.

As atividades ao ar livre são muitas por lá. De mirantes a caminhadas por trilhas, lagos e quedas d’água por todos os lados, o difícil é ficar parado. O Yosemite Valley é o ponto mais conhecido de parque, com montanhas de granito que formam um vale denso, com pinheiros e uma cachoeira ao fundo. No caminho também há um rio que é parada obrigatória para se refrescar. Além disso, os piqueniques são muito famosos, então leve seus lanches para ficar admirando a vista enquanto recarrega as energias. Não esqueça também de sempre recolher o lixo, pois a fiscalização do parque é rigorosa.

Entre as trilas, há opções para os iniciantes e para aqueles que querem mais aventura. As mais leves são as feitas na cachoeira Bridevail e Lower Yosemite Falls. Como elas são mais mais fáceis, costumam receber mais visitantes, então chegue cedo. As mais avançadas são a Upper Yosemite Falls, com 11 km de caminhadas e subidas, e Half Dome, com mais de 25 km de trajeto, que leva a um dos ponto mais altos e com a vista mais bonita do parque.

O que não pode ficar de fora do roteiro é a visita as famosas Sequoias gigantes. O principal bosque para visitar essas árvores é o Mariposa Grove, mas ele está fechado para reforma até o outono de 2017. Mas há duas outras opções para aproveitar. A primeira delas é o Toulumne Grove, com acesso fácil por uma trilha de 5 km. A segunda é a Merced Grove, que fica ao final de uma trilha mais inclinada de 5 km. Em ambas é possível apreciar grandes árvores milenares espalhadas pelos bosques.

Quer viajar mais e ficar por dentro de todas as dicas, novidades e promoções?

Deixe seu email aqui!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Current ye@r *